25 de jun de 2010

A História das Festas Juninas


Nos países europeus católicos, a festa era inicialmente chamada de "joanina" (em homenagem a São João). Trazida pelos portugueses para o Brasil, virou festa "junina" e foi incorporada aos costumes locais, com a introdução de alimentos, como o aipim, o milho, o jenipapo, e também os cantos e danças, como o forró, o boi-bumbá e o tambor-de-crioulo.

Mas não foi somente a influência portuguesa que caracterizou as comemorações. A quadrilha, por exemplo, foi uma adaptação de uma dança da nobreza européia (quadrille), muito presente nos salões franceses do século 18.

Os jesuítas portugueses, a princípio, comemoravam o dia de São João. As primeiras referências às festas de São João no Brasil datam de 1603. As festas de Santo Antônio e de São Pedro só vieram mais tarde, mas como aconteciam no mesmo mês, foram incluídas nas chamadas festas juninas.

A fogueira e os rojões

Uma lenda católica conta que Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus, na noite do nascimento de João Batista, acendeu uma fogueira para avisar a novidade à Maria. Por isso a fogueira é um elemento fundamental da festa e costuma ser acesa às 18h, hora da Ave Maria. Na festa de Santo Antonio, a fogueira tem formato quadrangular; na de São Pedro, triangular e na de São João possui formato arredondado na base, formando uma pirâmide.

Os fogos de artifício eram utilizados na celebração para "despertar" São João e chamá-lo para a comemoração de seu aniversário. O barulho de bombas e rojões podia espantar os maus espíritos. O costume de soltar balões surgiu da idéia de que eles levariam os pedidos dos devotos aos céus e a São João. Essa prática foi proibida devido ao alto risco de os balões provocarem incêndios.

A cerimônia de levantamento do mastro de São João é chamada de "Puxada do mastro". Além da bandeira de São João, o mastro pode ter as de Santo Antonio e São Pedro.

FONTE: http://educacao.uol.com.br/cultura-brasileira/ult1687u18.jhtm, acesso em 25/06/2010.

6 comentários:

  1. Adoro festa junina devido o mês de junho ser a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
    Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.


    Rodrigo Fernandes - Turma: 3004

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do texto sobre a história das festas juninas, descobri tbm que a "quadrille" veio para o Brasil pelo interesse da classe média e das elites portuguesas e brasileiras do século XIX por tudo que fosse a última moda de Paris.
    E um aviso para as pessoas que vão comemorar as festa junina: Soltar balão nem pensar. A prática é proibida por lei e é considerada crime porque representa um grande perigo para as florestas e até mesmo para as pessoas. Apesar de o balão ser um dos símbolos mais tradicionais de uma festa junina, ele deve ser apenas utilizado na decoração.

    XOXO Raquel Coutinho 1001

    ResponderExcluir
  3. Eu também gosto muito de festas Juninas, pois é cultura, diversão e tem comidas de tipicas de diferentes estados. É comemorado durante todo o mês de junho e em alguns lugares se prolongam por julho e agosto. Todos gostam e sempre entram na brincadeiraa.

    Monique Hellen - Turma: 3003

    ResponderExcluir
  4. É impressionante o quão o Clero influencia na a nossa cultura – não só a nossa –. Percebemos que até nas festas juninas há essa relação com a religião. Até mesmo por eu ser Católico, fico contente por saber a respeito. Apesar de o Clero possuir uma história muito negativa no passado, influenciou nos acontecimentos que são importantes e acabam atingindo toda sociedade, inclusive quem não é Católico.

    Nome: Alex Silva
    Turma: 3003

    ResponderExcluir
  5. O mais curioso não é descobrir essa origem histórica da festa junina, até porque todo mundo sabe que existe um fundinho religioso. O mais interessante é você fazer uma comparação com as festas juninas antigas e as de hoje em dia. Você percebe que elas eram feitas para agradecer aos santos e fazer pedidos, diferente de hoje em dia que as festas juninas acontecem apenas por costume e também para o puro divertimento, e que muitas comidas típicas são servidas em apenas algumas festas.
    Ainda há quem faça festas beneficentes, no entanto a coisa terminou por virar algo capitalista.

    Jonathan Caroba 1002

    ResponderExcluir
  6. Adorei saber a história das festas juninas.É bom descobrir e aprender coisas novas sobre a nossa cultura, se bem que é meio obvio que essa cultura tenha sido influenciada pela igreja. Mas graças a isso nós temos, hoje em dia, grandes comemorações.

    Patricia de Oliveira -1001

    ResponderExcluir

Quando for escrever seu comentário tenha cuidado com a ortografia e gramática. Coloque seu nome completo e, se for o caso, a turma também.
Obrigada pela participação.
Brevemente seu comentário será publicado.