25 de jun de 2010

Mais História e futebol.

No final do século 19, no Brasil,  futebol era esporte da elite branca.

Roberson de Oliveira* especial para a Folha de São Paulo.

"O futebol é o ideal de uma sociedade perfeita: poucas regras, claras, simples, que garantem a liberdade e a igualdade dentro do campo, com a garantia do espaço para a competência individual." Esta frase do autor peruano Mario Vargas Llosa talvez ajude a compreender um pouco a admiração que este esporte desperta em todo o mundo. Mas nem sempre os critérios da competência e da habilidade foram relevantes para a prática do esporte. Quando o futebol foi introduzido no Brasil, no final do século 19, por Charles Miller, o esporte era praticado pela elite branca da cidade de São Paulo.

A escravidão fora extinta havia poucos anos e os negros não eram aceitos pelos clubes para a prática do esporte. Dessa forma, o futebol manifestava um dos problemas cruciais da transição do Império para a República, isto é, a "integração do negro na sociedade de classes", como bem denominou o sociólogo Florestan Fernandes. O fim da escravidão, do Império, e a generalização das relações de trabalho livre não superaram os vícios aristocráticos da sociedade brasileira.

A abolição, sem a reforma agrária, privou os negros recém-libertos e seus descendentes de uma base material mínima sobre a qual pudessem iniciar uma nova vida. Os inumeráveis preconceitos bloquearam a incorporação dos negros na indústria nascente e no setor de serviços. Desde os momentos iniciais, portanto, o capitalismo no Brasil demonstrava uma incapacidade intrínseca de assimilar o contingente humano que era liberado com a desagregação das formas tradicionais de produção provocada pelo seu próprio desenvolvimento. No decorrer do século 20, a persistência da discriminação e do componente excludente do desenvolvimento econômico brasileiro perpetuaram os obstáculos para a ascensão social dos afro-descendentes.

Assim, se hoje é seguro afirmar que vivemos numa sociedade tipicamente liberal, ela está longe de exibir a singela virtude futebolística referida por Mário Vargas Llosa, a de garantir espaço para o mérito e para a competência individual.

Quer saber mais? Acesse  http://almanaque.folha.uol.com.br/leituras_30abr00.htm

15 comentários:

  1. Interesante prof. eu que sempre me interecei por futbol não sabia de mutas coisa.
    excelente post.

    ResponderExcluir
  2. Wallace Cruz
    Muito bom professora, esse documento explica bastante do Futebol.As pessoas que se interessam pro futebol vão gostar muiito.!!!

    ResponderExcluir
  3. - O futebol no Brasil começou como algo apenas praticado pela elite branca.Diz-se que a primeira bola de futebol do país foi trazida em 1894 pelo paulista Charles William Miller. A aristocracia dominava ligas de futebol, enquanto o esporte começava a ganhar as várzeas. Somente na década de 1920, os negros passam a ser aceitos ao passo que o futebol se massifica.
    Fonte: Wikipedia.


    Gostei bastante deste tópico devido, gostar de futebol, não sabia que o futebol no Brasil começou como algo apenas praticado pela elite branca.


    Rodrigo Fernandes - Turma 3004

    ResponderExcluir
  4. As pessoas daquela época sofriam muito :/
    achei muito interessante a sua matéria professora.


    Ítalo Moreira Mndonça - 1001

    ResponderExcluir
  5. ótimo. devemos aproveitar essas oportunidades casuais tambem para aprender e ensinar. parabens pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  6. É muito importante saber que tais preconceitos foram mudados com o tempo, fazenda assim uma nova população formada por pessoas que se unem por um único sentimento. Amor pela bola e pelo futebol!!!

    Rodrigo Rocha - 1002

    ResponderExcluir
  7. Faltou explicar um pouquinho da importância do Club de Regatas Vasco da Gama no combate ao racismo no futebol na década de 20. O clube passou por muitas dificuldades por conta do preconceito que os outros tinham, por ele usar de negros e operários no "esporte da elite" (chegou até ser retirado da liga na época). O Vasco foi um pioneiro na luta contra o racismo no futebol. Por causa disso, tivemos o maior jogador de todos os tempos: Pelé.


    Nome: Rafael Leon
    Turma: 3004

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente, o futebol não foi o único esporte praticado pela elite branca – o golfe, por exemplo, também era praticado-. O preconceito, naquela época, era algo constante e normal. Existiam, inclusive, clubes brasileiros conhecidíssimos que não aceitavam atletas negros no seu plantel. Ainda há este pensamento retrógrado nos dias de hoje, tanto com jogadores como torcedores. O preconceito encontra-se em todo lugar, e por ironia do destino, o maior jogador da história do futebol, sem dúvidas, foi um negro (o Pelé). Entretanto, acredito que houve uma melhora significativa, talvez pelo fato de, agora, existir punições. O futebol é apenas uma ilustração de várias situações preconceituosas (não só o étnico, mas também o social, o sexual) que existiram e ainda existem na sociedade nos dias de hoje.
    Nome: Alex Silva
    Turma: 3003

    ResponderExcluir
  9. Então o futebol era praticamente proibido por causa da escravidão. Eu não sabia dessa coisas, deveria ser materia de bimestre.
    Wautier de Jesus t:3001

    ResponderExcluir
  10. Wautier, em 1894 já não havia mais escravidão, mas o preconceito era muito forte mesmo, não só com os negros, mas também com os mais pobres. O futebol era um esporte da elite que,aos poucos, foi se popularizando até passar a admitir jogadores de todas as classes sociais.

    ResponderExcluir
  11. Era grande mesmo o preconceito .
    Um dos grandes exemplarem disso, é o meu grande clube, Fluminense .
    Por isso hoje a tradição de história do pó de arroz ( no qual os jogadores negros usavam de tal para jogar)
    é bom saber que hoje é diferente, e que não existe mais classe nem etnia padrão no futebol atual .
    Muito bom mesmo esse documento, e ainda tem muita história pra contar heim !

    Charles Santos
    Turma:1002

    ResponderExcluir
  12. Um exemplo disso é o meu clube, Fluminense, onde usavam pó de arroz para jogar futebol.
    É muito gratificante saber que o futebol, em pouco tempo, deu um pulo de auto-estima gratificante no mundo, e hoje não existe padrão de etnia e nem classe .
    Grande futebol !

    Charles santos
    Turma : 1002

    ResponderExcluir
  13. acho muito errado, essa história de quando a escravidão foi abolida os escravos não poderem jogar nos clubes, alguns decendentes de escravos(negros), hoje em dia, são excelentes jogadores de futebol!!
    ABÇS ;*

    MATHEUS MAIA
    TURMA: 1001

    ResponderExcluir
  14. Eu não acho certo que naquela epoca, o futebol era um esporte proibido para as pessoas de pele mais escura. Na minha opnião os brancos não permitiam que os negros praticassem esse esporte por medo de que eles se saissem melhores que eles.

    Prof. aqui é o aluno Ygor Luiz da turma 1001.
    estou comentando do login do meu amigo ,pois esqueci a senha do meu usuario.
    Beijos :D

    ResponderExcluir
  15. É muito interessante ver como as coisas tem evoluído e como o futebol progrediu com essa evolução. Não sabia desta parte da história do futebol, pois para mim ele sempre foi um esporte para todos. Acho muito errado todo aquele preconceito com os negros mesmo depois deles terem deixado de ser escravos, mas o importante é que atualmente todos tem o direito de jogar independente de qualquer coisa.


    Lorena Lima Coelho Turma: 3004

    ResponderExcluir

Quando for escrever seu comentário tenha cuidado com a ortografia e gramática. Coloque seu nome completo e, se for o caso, a turma também.
Obrigada pela participação.
Brevemente seu comentário será publicado.