20 de nov de 2010

20 de novembro - Dia da Consciência Negra!

O Mito:
Zumbi foi o grande líder do quilombo dos Palmares, respeitado herói da resistência anti-escravagista. Pesquisas e estudos indicam que nasceu em 1655, sendo descendente de guerreiros angolanos. Em um dos povoados do quilombo, foi capturado quando garoto por soldados e entregue ao padre Antonio Melo, de Porto Calvo. Criado e educado por este padre, o futuro líder do Quilombo dos Palmares já tinha apreciável noção de Português e Latim aos 12 anos de idade, sendo batizado com o nome de Francisco. Padre Antônio Melo escreveu várias cartas a um amigo, exaltando a inteligência de Zumbi (Francisco). Em 1670, com quinze anos, Zumbi fugiu e voltou para o Quilombo. Tornou-se um dos líderes mais famosos de Palmares. “Zumbi” significa: a força do espírito presente. Baluarte da luta negra contra a escravidão, Zumbi foi o último chefe do Quilombo dos Palmares.
O Dia da consciência negra:
A lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Nas escolas as aulas sobre os temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, propiciarão o resgate das contribuições dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país. Fonte: http://www.brasilescola.com/
Imagem: colegioativo4003.blogspot.com

Renda dos negros cresceu o dobro da renda dos brancos, diz pesquisa

Massa de renda da população negra brasileira atingiu R$ 554 bilhões.
Apesar da melhora, disparidade no país segue grande.

Do G1, em São Paulo
 
A massa de renda da população negra brasileira atingiu, este ano, R$ 554 bilhões, segundo pesquisa do Data Popular. Desde 2007, a renda média per capita do negro cresceu 38% - o dobro da renda média do branco, que teve alta de 19% no mesmo período.
Segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do instituto de pesquisa, o crescimento é resultado do aumento da renda da população da base da pirâmide de renda do país: “tem mais negros nas classes C e D, que teve aumento maior de renda que nas classes A e B [no período analisado]”, afirmou ele ao G1.
O acesso dessa fatia da população aos bens de consumo também tem registrado alta. Em 2001, 63% tinham televisão. Este ano, o percentual alcançou 98%. A posse de geladeira também cresceu de 56% para 97% no mesmo período.
“O mercado que essa parcela da população representa é muito grande e não pode ser ignorado”, aponta o executivo. “É um mercado que merece ser tratado com todo respeito, não basta usar um garoto propaganda negro, é preciso entender as referencias culturais, a história. Se consolidou o fato de que não é possível mais ter preconceito no Brasil”, diz.
Apesar do crescimento da renda da população negra, a disparidade no país segue grande. Na classe A, apenas 17,6% são negros. Na classe C, essa fatia corresponde a 39, 3%, enquanto na E os negros compõem 70,7% do total.
“Em 10, 15 anos talvez você comece a ter uma situação mais próxima de igualdade, mas falta muito ainda”, diz Meirelles.
Fonte: www.oglobo.com/economia 

17 comentários:

  1. Capturados na África em guerras fraticidas e trazidos para o Brasil, o negro africano (transformado em escravo) foi "os pés e mãos" dos latifundiários. Para justificar a escravidão, a Igreja , a partir do século XVI decreta através da bula do Papa Inocêncio IV, que o negro não tem alma, portanto, passível de escravização. Através dos atos de dominação entre as etnias africanas para impedir que as mesmas se rebelassem contra seus senhores e passou a incutir nos cativos o conformismo.

    Desejosos de liberdade, os escravos revoltaram contra a opressão de seus senhores. Para os que ameaçavam a sociedade, as classes dominantes jusficaram à tortura e a repressão como meios de coibir as revoltas negras, como ocorreu com o esmagamento de Palmares. Portanto, temendo ver destruído todo o sistema econômico e social, os "homens bons" para garantir o desenvolvimento das práticas colonialistas procuraram alija-los do processo. É evidente que durante os três séculos de escravismo no Brasil, os castigos físicos e a violação das negras escravas eram frequentes. Na verdade, a negra sempre "serviu de pasto para o ardor sexual" dos senhores de terras de alguns padres. Dessa violação gerou-se filhos mulatos, apesar do "aborto forçado pelas mães negras, que não legaram filhos à crueldade branca",observa J. J. Chiavenato.

    A abolição da escravatura (1888) preservou o mito de que a História é feita pelos "grandes homens". Apesar da liberdade, o negro não foi absorvido como força de trabalho pela nova sociedade que surgia. Fora substituído pelo trablho do imigrante europeu. Com a abolição o africano deixou de ser "peça de ébano", como era tratado, e passou ser negro. Assim como, o índio foi considerado "preguiçoso", negro foi visto como uma mancha na constituição do povo brasileiro.
    Segundo Nina Rodrigues, "A Raça Negra no Brasil, há de constituir sempre um dos fatores da nossa inferioridade como povo". Já Sílvio Romero enfatiza: "A vitória na luta pela vida, entre nós, pertencerá, no porvir, ao branco". É com esse discurso etnocêntrico que se elaborou uma campanha para estigmatizar o negro do processo histórico. Portanto, é necessário, que as Ciências Humanas adquiram uma reelaboração e um repensar da história, em busca de um processo metodológico mais rigorosso. Não devemos deixar que esse repensar siga o caminho alienante que alguns teóricos percorreram provocando um verdadeiro anacronsimo.

    Em síntese, a miopia colonizadora e a visão tradiconal de alguns historiadores não foram capazes de apreender o processo de desenvolvimento social do ser humano, isto é, explicar o papel das três "raças" como agentes do contexto histórico. Enquanto não reconhecer como grupos humanos, que se tente resgatar verdadeira historicidade. Asssim, as lutas do povo brasileiro tem importância ímpar na história do Brasil.

    Valeu Zumbi e tantos outros brasileiros que se orgulham de sua negritude!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o post, vai me ajudar bastante nos deveres que tenho sobre o tema.

    Willian Silva de Oliveira
    Nº39
    T1001

    ResponderExcluir
  3. Bruno Bernardino - 3001
    Não vejo problema com os povos negros, eles fazem parte da nossa contituição, da sociedade etc. Futuramente essa desigualdade social entre brancos e negros vai acabar, pois assim como as mulheres, os negros buscam seu espaço no mercado de trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Essa data não pode nunca mais ser esquecida.
    Viva Zumbi! A sua luta não pode parar.

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro a trajetória de vida de Zumbi.
    Entendo que faltam mais pessoas em nossa sociedade com este perfil de luta e persistência por seus objetivos como Zumbi, que lutou até o fim para conseguir mudar a realidade de seu país e seu povo.
    Morreu sem ver seu sonho totalmente realizado, mas a semente do espírito guerreiro ficou e foi passada para todos aqueles que viveram com ele e que conheceram sua história.

    Viva Zumbi, viva a consciência negra !

    Fernanda Emerick 3004 - NAVE

    ResponderExcluir
  6. Eu não gosto desse tipo de pesquisa, para mim isso é a absoluta prova de que há preconceito.
    Vamos parar de fazer essas comparações hipócritas entre negros e brancos, e começar a lutar pela igualdade tanto em condiçoes como em oportunidades, e também lutar pela união em pesquisas afinal, somos uma única raça, a raça humana.

    André d' Ávila
    3001

    ResponderExcluir
  7. Os negros possui uma história marcada por vários acontecimentos, e todos sabem que eles são guerreiros, estão aos poucos buscando seu espaço
    na sociedade e no próprio mercado de trabalho.

    Raphael Botelho - Turma:3001

    ResponderExcluir
  8. Olá André,

    Concordo quando diz que só existe uma única raça, a raça humana. E, que devemos lutar pela igualdade de direitos e oportunidades. Porém, acho que o respeito pelo outro deve ser construído em nosso discurso e prática, e não com o objetivo de sua exclusão. O negro, historicamente, vem sendo excluído em nossa sociedade, mas felizmente as coisas estão mudando.
    O discurso que exclui, separa e nega, instaura num gesto historicamente repetitivo que precisa ser avaliado, questionado e modificado, se é que pensamos evoluir. Se pensameos construir uma cultura de paz é essencial respeitar as diferenças.

    ResponderExcluir
  9. É bonito ver que toda a luta negra pro reconhecimento trouxe resultados. A busca deles por um lugar no "mundo dos brancos" não foi em vão; essa luta,travada há decadas atrás, vem com resultados presentes, fazendo com que exista igualdade na nossa sociedade. Ou pelo menos diminuindo a desigualdade, já que algumas pessoas não tiraram o preconceito de si próprio e não notaram que todos somos iguais.

    Patricia de Oliveira - 1001

    ResponderExcluir
  10. Muito legal o post, professora! Adorei fazer o trabalho sobre as personalidades negras. Descobri muitas coisas interessantes com o meu tema, que no caso foi sobre a Rainha Ginga. A história dos negros é muito legal e marcada por vários fatos interessantes. Realmente a consciência negra vai de cada um, afinal todos somos iguais. Igualmente diferentes.


    Caroline de Lima Rieger 1001

    ResponderExcluir
  11. Vale á pena ressaltar que O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que Zumbi, o líder do Quilombo dos Palmares, morreu. E o dia é celebrado desde a década de 1960.
    É justamente por esse motivo, que essa é uma data dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira, à resistência do negro à escravidão de forma geral.
    Algumas entidades até organizam palestras e eventos educativos, com o propósito de discutir sobre a inserção do negro no mercado de trabalho, as cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.
    Mas, apesar de esse tipo de manifestação em favor da igualdade humana, é uma pena que, infelizmente, ainda temos e vemos muitos relatos de violência contra os direitos das pessoas negras.

    ResponderExcluir
  12. Sempre gostei bastante da ideia de dedicarem um dia para a consciência negra. Eles batalharam tanto para conseguirem um reconhecimento da sociedade...
    É bom ver que agora eles estão conseguindo um certo respeito das pessoas. Mas ainda é uma pena que as pessoas tenham um forte preconceito sobre os negros. O mesmo preconceito que foi criado lá na época dos Portugueses. Lembra que eles consideravam os negros como doentes, donos de uma maldição divina? Sempre achei isso errado.
    Espero que futuramente, essa espécie de preconceito desapareça de uma vez por todas.

    Gisele Lima - Turma 1001

    ResponderExcluir
  13. Eu acho uma data como esta muito importante pode até não parecer agora mas com o passar dos anos essa data servirá como uma lembrança do que aconteceu no passado o que fara com que o sofrimento que os negros passaram não seja esquecido.

    Alzair Manoel De souza junior
    T: 1002

    ResponderExcluir
  14. Que bom, ainda bem que cresceu. Mas acho que isso seria muito óbvio de acontecer, porque como nos dados mostra que cresceu o percentual de negros que possuem TV acho que é mais por custo da época de 2001 e o custo de 2010. Hoje a TV é baratíssima!
    Mas mesmo assim é bom saber que a renda per capita cresceu. Um avanço pra um caso que teria que ser cotidiano, tando para os brancos quanto para os negros. Mas infelizmente nossos antepassados fez que isso se torne extraordinário.
    E só queria fazer uma observação, oque sempre digo quando se trata de igualdade racial. Nós temos e devemos procurar igualdade, isso é fato, mas não concordo com pessoas de raça que no passado sofreu, que hoje são beneficiadas em relações as outras raças que são consideradas "iguais".
    Somos todos iguais, sem privilégios nem superioridade para ambas raças.

    Espero que tenha entendido. Abraço!

    Bruno Marques
    1002

    ResponderExcluir
  15. Acredito que alguns benefícios para determinadas raças são desnecessários, uma vez que temos que pensar nestas como um todo e isso acaba - mesmo que de forma indireta - separando as pessoas, mas é muito bom ver que a luta desse povo contra a segregação racial, tem gerado resultados e que esse preconceito repugnante começa a ser vencido.
    O importante mesmo é destacar que todos nós fazemos parte de uma única raça, a raça humana.

    Winny R. Cardoso - 1001

    ResponderExcluir
  16. Acho algo bastante interessante a luta negra através dos anos, o sofrimento por qual passaram é algo bastante intrigante de memorizar e aprendemos hoje sobre as diferentes visões do ser humano.
    É satisfatóriamente interessante também,perceber o crescimento colossal da população negra no Brasil, onde na minha opinião ainda se concentram bastante pessoas racistas (itotariemal)haha, (sem querer julgar, e sim pelo que vejo).
    Só sou tecnicamente contrario ao dia da "Consciencia Negra", e acho que todos nós, brasileiros, deveriamos ter consciencia desde a nossa juventude.Sempre que presencio essa data, me pergunto realmentequal o motivo disso, mas sei que tem um lado bom, porém, não concordo.

    PS: Ainda bem que sou imigrante.
    Beijo!

    Charles Santos T:1002

    ResponderExcluir
  17. Particularmente, acredito que essas pesquisas são importantíssimas, pois sabemos, infelizmente, do preconceito que não só existiu, mas também existe no Brasil e no mundo. É necessário que haja a punição adequada das autoridades em casos de racismo, independente da situação. Porém, a mesma deve ser muito bem analisada, tanto para os brancos quanto para os negros. Vale ressaltar que a qualidade de vida dos negros melhoraram, também, em razão ao crescimento do país – não devemos esquecer que atualmente possuímos um governo de esquerda (ou quase) no Brasil. E essas melhorias não ocorreram apenas para o povo afro-brasileiro. A classe média, a cada ano, vai aumentando! Isso é fruto de investimentos para a população (na qual ainda é pouco). Para encerrar, nada melhor que homenagear os negros com um feriado nacional. Todos sabem o tamanho do sofrimento desta etnia. Como também possuo familiares negros, sinto-me ainda mais honrado, em de uma forma ou outra, fazer parte desse dia importantíssimo: a da Consciência Negra!

    Nome: Alex Silva Turma: 3003

    ResponderExcluir

Quando for escrever seu comentário tenha cuidado com a ortografia e gramática. Coloque seu nome completo e, se for o caso, a turma também.
Obrigada pela participação.
Brevemente seu comentário será publicado.